O Caviar da Estratégia: a importância da Matriz SWOT em ambiente corporativo

ambiente corporativo

Entende-se que a estratégia competitiva é fundamental para que as empresas possam alcançar o sucesso e superar a concorrência. No entanto, um dos fatores críticos para a implementação de métodos de sucesso permeia a correta utilização das ferramentas de apoio estratégico. Hoje, existem diversas ferramentas disponíveis para auxiliar os gestores e empreendedores a formularem suas estratégias. Nesse artigo, abordaremos uma das mais conhecidas, se não a mais conhecida de todas. A tão famosa matriz SWOT. Primeiramente, será falado alguns aspectos importantes antes de tratar questões sobre como funciona essa técnica na prática. Antes de aprofundarmos no assunto, veja também como iniciar o planejamento estratégico nas organizações.

Qual a origem da Matriz SWOT?

A análise interna e externa da organização é fundamental para a concepção de uma estratégia eficiente. Para auxiliar os gestores a terem uma visão analítica do mercado e da organização, foi desenvolvida a matriz SWOT (Strengths, Weakness, opportunities and Threats). Em português, tem a sigla “FOFA”, que significa Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças.

A origem da matriz SWOT ou SWOT Analysis deu-se por volta dos anos de 1950-1960, na Havard Business School (HBS), mas seu autor original e a obra de seu lançamento não foi confirmada. Contudo, no meio acadêmico a SWOT é comumente creditada aos dois professores da HBS, sendo eles: George Albert Smith Jr e C Roland Christiensen.

Como nosso artigo não tem cunho acadêmico, não nos ateremos a buscar a fundo sobre a história da SWOT, porém tomar conhecimento das suas origens é importante no sentido de traçar a evolução da ferramenta ao longo do tempo.

O que é a Matriz SWOT?

É uma importante ferramenta para que os gestores conheçam as oportunidades e as ameaças do ambiente competitivo, identificando as forças e fraquezas da empresa. Sendo assim, tem como intuito aproveitar as oportunidades e defender-se das ameaças.

Nessa matriz, as oportunidades e ameaças são aquelas externas a organização, já as fraquezas e forças são internas da empresa, conforme a imagem apresentada abaixo:

Matriz SWOT
Figura 01: Matriz SWOT (Fonte: Rock Content)

Forças: São atributos positivos, tanto tangíveis, quanto intangíveis da organização, como processos bem definidos, corpo técnico bem qualificado, ambiente interno propício à colaboração e trabalho em equipe.

Fraquezas: São atributos negativos, tanto tangíveis, quanto intangíveis da organização, como por exemplo: baixa capacidade de produção, tecnologia obsoleta, baixo controle do fluxo de caixa, corpo técnico desqualificado, processos não mapeados ou controlados.

Oportunidades: São atrativos externos à organização, que podem ser aproveitados para aumentar a competitividade ou possibilitar o crescimento da empresa, tais como: crescimento da demanda para um produto/serviço, a criação de uma nova lei que favoreça a um determinado mercado, o crescimento econômico do país, que pode aumentar o poder de compra dos clientes, entre outras.

Ameaças: Por último, existem as ameaças que estão relacionadas com o ambiente externo da organização. Representam um ponto negativo que pode colocar a empresa ou a estratégia em risco, como por exemplo: a possível mudança de uma lei que possa prejudicar o mercado, o clima, a baixa barreira de entrada de novos fornecedores, o desenvolvimento de um produto substituto por um fabricante na China, um novo player que esteja entrando no mercado.

Como usar?

A matriz SWOT é uma ferramenta versátil e, por isso, ela é tão popular, pois não se atém somente ao uso estratégico. Pode ser utilizada para identificação de riscos em projetos, análise de pontos fracos e fortes em processos e até mesmo para planejar a carreira pessoal. Nesse sentido, a matriz acabou tornando-se uma importante ferramenta de apoio aos mais diversos propósitos dentro e fora das organizações.

No campo da estratégia, percebe-se que a matriz SWOT é amplamente utilizada pelos consultores para terem um panorama inicial do ambiente mercadológico e da empresa onde estão prestando consultoria. Dessa forma, pode-se avançar e identificar pontos de atenção para formulação das estratégias.

Na pesquisa de Hill and Westbrook (1997), a matriz SWOT foi aplicada em 20 empresas de manufatura do United Kingdom (UK). Nesse período, havia um forte interesse do governo em incentivar a inovação de produtos para atender as demandas de mercado. Além disso, foi aplicada a fim de identificar os pontos de atenção estratégica nas empresas, proporcionando uma visão do mercado e das organizações aos empresários.

A principal conclusão da pesquisa foi que a matriz SWOT não foi suficiente para formulação das estratégias nas organizações pesquisadas. Dado que essa não consiste em uma análise dos pontos fortes e fracos, fraquezas e ameaças, mas sim em uma descrição geral desses pontos.

Portanto, deve ser utilizada para iniciar um pensamento estratégico, ou seja, a partir dos pontos identificados pode-se avançar em caminhos para criação de uma estratégia competitiva. Mas é importante destacar que, somente os dados gerados pela SWOT, não são suficientes para a formulação das estratégias competitivas.

Como fazer uma matriz SWOT?

É uma ferramenta simples, basta desenhar uma matriz. Mas, caso prefira, faça em formato de tópicos ou textos. A partir de então, comece a reflexão sobre os fatores relacionados aos pontos fortes, fracos, ameaças e oportunidades. O mais importante é analisar os pontos encontrados e priorizar os itens mais relevantes, que possam trazer uma maior vantagem competitiva. Elimine os fatores identificados, como ameaças e fraquezas.

Para a realização da matriz SWOT, é sugerido a criação de um grupo de pessoas que possam contribuir com a análise, como gestores, consultores, clientes, fornecedores, parceiros e stakeholders no geral. Após preencher a matriz de acordo com a sua percepção, transfira todas as informações para uma única matriz, adicionando os dados de cada um do grupo. Ainda pode-se agrupar por cada tipo, como por exemplo: pontos fortes relacionados à qualidade, pontos fracos relacionados a pessoal, ameaças relacionadas à concorrência e oportunidades relacionadas à economia.

Exemplo de matriz SWOT:

MATRIZ SWOT MC DONALD'S

Figura 02: Matriz SWOT McDonald´s (Fonte: Esag Jr)

O que fazer com os pontos identificados ?

Diante dos dados, cabe aos gestores definir quais aspectos devem ser analisados. Segue algumas sugestões:

Cruzar os dados de ameaças x pontos fortes

Esse cruzamento de dados ajuda a identificar os pontos fortes que podem neutralizar ameaças. Caso não consigam neutralizá-las, a empresa precisa avaliar se seria importante ou urgente a criação desse ponto forte, como por exemplo: a ameaça de novos concorrentes seria neutralizada com a capacidade da empresa em criar novos produtos, inovar ou até mesmo trabalhar a força da marca.

Cruzar os dados de oportunidades com as fraquezas

Esse cruzamento pode apontar oportunidades que seriam perdidas pela empresa por apresentar pontos fracos. Exemplo: a oportunidade de criar uma nova filial seria um fator importante, porém poderia ser perdida pela baixa capacidade da empresa em conseguir crédito ou pelo pouco fluxo de caixa.

Criação de uma nova matriz de priorização

Para priorizar quais itens desenvolver mais, faça uma matriz com sistema de notas, veja quais ameaças deverão ser neutralizadas ou monitoradas. Exemplo: Atribuir nota de 1-5 para os pontos identificados. Aqueles que tiverem notas mais altas serão potencializados, uma vez que as ameaças e fraquezas com maior nota poderão ser neutralizadas de alguma forma.

Realizar perguntas importantes

  • O que mudaria a forma como a minha empresa atua hoje?
  • Como empresas de outros países atuam nesse mercado?
  • Qual produto/serviço se existisse poderia substituir o meu?
  • O que meu cliente entende por valor?
  • O que é mais importante para ele?
  • Por que o cliente consome meu produto e não o do concorrente?

Pode-se afirmar que a matriz SWOT, por mais simples que possa ser, traz uma grande reflexão sobre o direcionamento da organização para um pensamento estratégico. Nesse sentido, essa pode ser uma das primeiras ferramentas utilizadas pelas empresas para começarem a pensar no seu mercado e também dentro da organização com foco no pensamento estratégico.

Ferramenta Estratégica

Diante do exposto, a matriz SWOT é uma ferramenta estratégica que por sua simplicidade possibilita que gestores, consultores e empreendedores iniciem pensamentos estratégicos sem muita complicação. Além de abordar questões sobre o ambiente em que a empresa está inserida, promove o debate sobre ações dentro da organização.

A matriz SWOT não é restrita somente à disciplina de planejamento estratégico. Pode permear as mais diversas áreas do conhecimento, desde a medicina até a área de ciências, gestão de projetos, entre outras. O ideal é utilizá-la como ferramenta de apoio para conhecer o ambiente interno e externo.

Ainda que seja uma poderosa ferramenta estratégica, a matriz SWOT ainda é incompleta e pode não ser suficiente para a formulação de estratégias dentro da organização. Tem como foco central o mapeamento dos pontos, que pode oferecer uma reflexão inicial sobre os pontos mapeados e, a partir disso, inicia o desenvolvimento do planejamento estratégico da organização.

Estratégia empresarial não funciona apenas em grandes empresas, pelo contrário, para as pequenas empresas é mais eficaz ainda. Já que encontra dificuldades, que muitas vezes não acontecem em grandes organizações, como acesso a capital, baixa maturidade em processos, pouca automatização dos processos e a baixa qualificação da mão de obra. A análise SWOT e o planejamento estratégico apoiam as pequenas empresas a priorizarem investimentos e a entender melhor o seu mercado. Com isso, tem como finalidade desenvolver ações que gerem valor para os seus clientes.

CONCLUSÃO

A pequena empresa não é uma grande empresa em miniatura, então o que é feito e até mesmo publicado de conhecimentos sobre estratégia competitiva deve levar em conta em que circunstâncias aquelas decisões foram tomadas, por quê e como chegaram àquele pensamento e aquelas ações estratégias. Copiar uma estratégia ou ações de outro empreendimento pode não ser uma boa, geralmente, não é revelado o caminho que levou aquele pensamento estratégico nem quais fatores críticos de sucesso aquela estratégia possui.

É bom alertar que não existe um processo padrão para o desenvolvimento de estratégia empresarial, não existe regra. Mas evite o senso comum, lembre-se que a formulação de estratégia é uma atividade que permeia toda a organização, desde os altos executivos até os profissionais da linha de produção. Todos podem e devem contribuir nesse processo. O que existe de fato é que cada empresa é única, cabe a essa encontrar os meios e as ferramentas que possam trazer a vantagem competitiva.

Em síntese, é importante informar que outras ferramentas estratégicas podem e devem fazer parte da reflexão estratégica de uma organização. Nesse artigo, focamos nos “gaps” analisados pela matriz SWOT, pois é a responsável por “fechar os pontos” para a formulação de um planejamento estratégico que possa gerar diferencial competitivo a longo prazo. A partir dessas informações, diversas ações podem ser utilizadas para complementar esta análise.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Inscreva-se para receber nossos conteúdos em primeira mão, diretamente em seu e-mail.

A Upgrade TI precisa das informações de contato que você nos fornece para comunicar informações sobre os conteúdos grátis. Você poderá deixar de receber essas notificações a qualquer momento.

Posts Recentes

Utilizamos Cookies em nosso site para você ter uma melhor experiência ao voltar a nos visitar. Clicando em “Aceito”, você concorda em salvar os Cookies no seu navegador.

Falar com Especialista
UPGrade TI - Suporte Técnico de TI
Olá 👋
Como podemos ajudá-lo?