Como melhorar o desempenho do computador: um guia completo

melhorar o desempenho do computador

Motivos para melhorar o desempenho do computador

E melhorar o desempenho do computador é o desejo de muitos usuários, afinal, uma das coisas mais irritantes no dia a dia de qualquer pessoa é com certeza usar um computador lento, ainda mais quando se tem pressa para realizar alguma atividade importante. Em muitos casos, ao clicar em algum programa, o PC leva um longo período para abrir, dá tempo até de fazer um cafezinho, lavar a louça e ver uma boa série no Netflix. No entanto, vivemos em um cenário onde tempo é dinheiro, então quando perdemos tempo esperando alguma ação ser executada no computador, na verdade estamos perdendo dinheiro.

Agora imagine uma empresa com 20 funcionários, onde todos perdem cerca de cinco minutos para ligar o PC. Durante o dia, somando os tempos de lentidão, chegam a perder 20 minutos de trabalho aguardando um programa carregar ou abrir uma tela específica do sistema. Podemos dizer que essa instituição perdeu mais de 8 horas de produtividade total, isso equivale a um funcionário parado todos os dias (fórmula: 25min x 20 funcionários = 8,33h tempo perdido/dinheiro perdido). Se pensarmos a longo prazo, 1 ano nesse cenário equivale a 2.199,12 horas perdidas, que é referente a 92 dias sem produtividade. Levando em conta que a média de um funcionário pode custar cerca de R$2.000,00 por mês, percebe-se que essa empresa teve um prejuízo de R$6.000,00 por ano somente pela lentidão nos computadores.

Sendo assim, justificamos que investir para melhorar o desempenho do PC vale a pena, pois além de evitar o estresse do dia a dia da empresa,  faz com que ela não perca dinheiro. Por isso, criamos esse guia completo de como melhorar o desempenho do computador de forma simples, fácil e inteligente.

Funcionamento do computador: Quais peças ajudam a melhorar o desempenho do computador?

Sabemos que o computador é uma das ferramentas mais importantes criadas pelo homem, pois possibilita trabalhar, estudar, ler, ver vídeos, entre outras diversas atividades. E para melhorar o desempenho do computador, precisamos conhecer como ele funciona.

Nesse tópico abordaremos como funcionam e para que servem as peças do computador, mas sem aprofundar muito em detalhes técnicos. A ideia deste guia é falar sobre algumas diferenças entre as diversas placas e peças do computador, ressaltando a importância de máquinas mais rápidas e produtivas. 

Inicialmente vamos dividir o computador em sete partes: Placa-mãe, Processador, Memória RAM, HD/SSD, Placa de vídeo, Placa de rede e Fonte de alimentação. Essas são as principais peças responsáveis pelo funcionamento do computador, pois interagem o tempo todo resultando em telas mais rápidas ou mais devagar. Contudo, isso interfere, por exemplo,  na imagem que você está vendo agora.

Vamos conhecê-las um pouco mais:

1) Placa-mãe: O que é?

Placa-mãe:

Figura da placa-mãe

Placa-mãe ou motherboard é a placa central do computador. É a responsável por integrar todos os outros componentes e fazer com que funcionem em conjunto. Essa placa se conecta com as outras peças listadas acima, pois transferem as informações de uma peça à outra até chegar no seu monitor. Atualmente, existem diversos modelos de placa-mãe e diversos preços, variando não somente o seu valor, mas também a quantidade e qualidade dos recursos que a placa possui.

A placa-mãe dificilmente é a responsável pela lentidão em um computador, uma vez que ela não faz tanto processamento de dados que possam impactar diretamente na velocidade de funcionamento do sistema operacional. Mas pode acontecer em alguns casos com o mau funcionamento da placa, como por exemplo: aquecimento, problemas nas trilhas, sujeira, mau contato, entre outros.

2) Processador: Entenda sua função no desempenho do computador

Processador

Figura do processador

O processor ou CPU (Central Processing Unit) é a unidade central de processamento do computador e comumente é comparado com o cérebro humano. É responsável por executar diversos cálculos e instruções computacionais, que são executados pelo sistema operacional e softwares instalados no computador.

Nesse momento, convém lembrar que a placa-mãe transmite e recebe informações dos diferentes componentes do computador. Essa troca de informações é chamada de processo que precisa ser interpretado e processado, para que tudo funcione de forma eficiente no computador.

Normalmente, quanto mais rápido o processador, mais rápidos esses processos serão interpretados, porém isso não depende apenas do processador, os softwares também precisam ser otimizados para ser utilizado a potência máxima. Por isso, a importância de manter os sistemas e drivers atualizados, para que estes possam sempre estar na última versão indicada do fabricante.

Muitos processadores vem com um processamento gráfico integrado neles, então não há necessidade de ter uma placa de vídeo dedicada para que as imagens apareçam na sua tela. Porém, se a finalidade do computador é para processamento gráfico, edições de vídeo, jogos, softwares que usam bastante imagens, como os de arquitetura e engenharia, será necessário uma placa de vídeo dedicada para melhorar a performance desses softwares. Entretanto, para a maioria das pessoas e empresas que apenas buscam usar um sistema ERP, acessar a internet e arquivos comuns não há necessidade de ter uma placa de vídeo dedicada.

3) Memória RAM: Veja sua funcionalidade

Memória RAM

Figura da memória RAM

No seu computador existem dois tipos de armazenamentos: a memória perene (memória de armazenamento) e a outra é a memória volátil (memória RAM), que é uma memória rápida que ao reiniciar o computador apaga os dados armazenados na memória RAM.

O objetivo da memória RAM é auxiliar o computador com uma memória rápida tendo como finalidade “lembrar” os programas que estão abertos no momento e acessá-los o mais rápido possível. Um exemplo é a “janela” do Google Chrome, essa janela está armazenada diretamente na memória RAM do computador.

A placa-mãe vem com alguns slots para colocação da memória. Geralmente, essas vêm com canais diferentes para que seja possível ligar a memória em outros canais, tornando possível o acesso simultâneo de informações na memória gerando mais performance e velocidade no acesso às informações do computador.

4) HDD/SSD: Qual a diferença?

HDD/SSD

Figura do HDD e SSD

O HDD ou Hard Disk Drive armazena os arquivos do computador para não serem perdidos quando reiniciar. O HDD possui discos, que ao girar, armazenam os dados e fazem uma leitura óptica das informações. Um dos problemas do HD é que ele, geralmente, é a parte mais lenta do computador e por ser um disco com funcionamento mecânico – com uma agulha fazendo a leitura dos dados – fica suscetível a arranhões, o que pode causar lentidão e até falhas no funcionamento de sistemas e softwares.

Já o SSD (Solid-State Drive) não trabalha com a tecnologia de discos, mas sim como uma placa de memória, o que faz com que ele consiga velocidades bem maiores do que o HDD. Apesar de ter uma velocidade bem superior à de um HDD convencional, podendo chegar a mais de 10x a velocidade, o SSD por sua vez, tem uma capacidade de armazenamento inferior.

Caso o usuário tenha necessidade de um armazenamento maior do que 240GB, o ideal é ter um HDD dedicado ao armazenamento de dados e outro dedicado aos sistemas e softwares. Ainda é possível fazer a mescla dos dois tipos de tecnologia, onde o HDD e o SSD trabalham juntos como se fossem um único disco, porém não é muito comum em usuários convencionais. Em notebooks, essa prática está ficando mais corriqueira e já é possível ver diversos modelos trazendo essa tecnologia, o que pode melhorar a performance do sistema operacional.

5) Placa de vídeo: Saiba para que serve a GPU

Placa de vídeo

Figura da placa de vídeo

A placa de vídeo ou GPU é a placa responsável pelo processamento gráfico, ou seja, tudo que você vê na tela do computador. Como falamos na parte sobre processadores, em diversos cenários a GPU será necessária para melhorar a performance dos sistemas e softwares, principalmente, quando o uso do computador é para jogos ou processamento gráfico.

Ainda existe a possibilidade de utilizar a placa de vídeo como um processador, pois as peças mais novas geralmente são mais rápidas que os processadores.  Para que tenham mais performance, alguns sistemas utilizam uma placa de vídeo para fazer o processamento integrado com o processador. Um exemplo prático de uso, são softwares de cálculo de engenharia e matemática, que demandam muito processamento (não processamento gráfico, mas de cálculos). Nesse caso, a placa de vídeo pode trabalhar em conjunto, no entanto, o sistema deverá permitir essa integração.

6) Placa de rede: Ela interfere no desempenho do computador? 

Placa de redeFigura da placa de rede

A placa de rede ou Ethernet é a placa responsável por fazer as transmissões de dados na rede de computadores e internet. Geralmente essas placas são integradas a placa-mãe, porém, em alguns casos, pode ser necessário um upgrade na placa de rede ou até mesmo a troca por mau funcionamento. As placas de redes podem trabalhar com 10/100 mbps (megabyte por segundo) ou 10/100/1000 mbps. Caso o switch, roteador e os equipamentos de rede da sua casa ou empresa suportem a velocidade de 1gpbs ou 1000mbps. Mas essa velocidade de rede somente será alcançada se sua placa de rede for compatível.

Como é possível observar, tudo funciona como uma engrenagem, onde a parte mais rápida deverá rodar na velocidade da parte mais lenta. Nesse sentido, tudo deve caminhar em conjunto para que um melhor desempenho de performance na rede seja percebida pelo usuário do computador.

7) Fonte de alimentação: Principais características

Fonte de alimentação

Figura da fonte de alimentação

Por último, e não menos importante, temos a fonte de alimentação, que como o próprio nome já diz, é responsável por levar energia elétrica para os diversos componentes do computador. É importante destacar que, sem o correto dimensionamento de energia, o computador pode funcionar com problemas ou até mesmo parar de funcionar.

A fonte de alimentação é muito subestimada na hora da montagem do computador, porque poucos conhecem a sua real importância. Já imaginou se a fonte de alimentação passar uma corrente maior para a placa, o que vai acontecer? Além de queimar,  o usuário perde tempo e dinheiro, pois precisará comprar outra peça, trocar e ainda corre o risco de queimar outros componentes importantes do computador, como o HD (armazenador de dados). Então, na hora da montagem é bom contar com uma fonte de alimentação de qualidade com o selo 80 plus, que garante que a fonte atende as especificações técnicas e possui segurança contra variações na rede elétrica.

Figura dos tipos de selos 80 plus

Tipos de melhoria de desempenho no computador

Agora que sabemos da importância de melhorar o desempenho do computador e como funcionam os seus diversos componentes, chegou a hora de colocar em prática como podemos melhorar o desempenho do computador, notebook, entre outros.

Como vimos, o computador funciona como uma grande engrenagem, onde os diversos componentes trabalham um passando informação para o outro, porém cada um com sua função. Como toda engrenagem, a parte mais lenta é a que comanda o jogo, ou seja, se um componente funciona mais lento do que os outros todos terão que funcionar abaixo da sua capacidade. 

Como funciona isso na prática?

Vamos imaginar um computador padrão, nada de muito diferente do que a maioria de nós utilizamos no dia a dia. O usuário ao abrir o computador, espera carregar o Windows, abre o navegador de internet, clica em algum aplicativo de planilha e edição de texto. Nada de muito sofisticado, certo?

Nesse momento, o computador está executando os diversos processos para manter o sistema operacional em funcionamento e ainda dando conta dos aplicativos e softwares que estão sendo utilizados no momento. Ao começar a trabalhar, percebe-se uma certa lentidão no PC, os programas demoram a abrir e o Windows, consequentemente, demora a iniciar. Digamos que a memória já esteja em sua capacidade máxima e, ao tentar abrir mais alguns aplicativos, começa a ficar mais lento. Temos então o que vem sendo chamado de “gargalo” no sistema.

O “gargalo”, ou fila de processamento, nada mais é do que uma fila de processos que estão aguardando para serem processados pelo sistema. Vamos lá. No exemplo a memória está cheia, não consegue mais armazenar e processar dados e você continua querendo abrir aplicativos, enquanto isso o processador está lá aguardando a memória mandar os dados e isso demora ou não ocorre. Nesse caso, todos os componentes estão trabalhando mais rápido do que a memória consegue trabalhar e o resultado é a lentidão na tela do computador.

Homem com raiva do computador

Hoje, existem duas alternativas para deixar o computador mais rápido: uma melhoria de hardware (upgrade) ou uma melhoria/otimização de sistema.

Upgrade: O upgrade do computador, nada mais é, do que melhorar a sua capacidade através do incremento de peças mais rápidas e melhores do que as anteriores. Sendo assim, é necessário aumentar a memória para que o computador funcione bem.

Otimização do sistema: A otimização do sistema é quando realizamos ajustes nos softwares e sistemas do computador para que esses funcionem da maneira adequada. Porém, caso o problema seja de hardware (componentes do computador), essa manutenção pode até melhorar um pouco, mas pode não resolver o problema.

No momento em que percebe-se a lentidão no sistema deve-se agir como um médico, que busca a causa raiz do problema para então passar o tratamento correto. Muitas pessoas erram ao focar direto na solução, negligenciando a avaliação diagnóstica do equipamento antes de dar uma solução, o que pode custar muito dinheiro.

Veja esse exemplo:

Um técnico de informática vai até um cliente que está com o computador lento, ele após uma rápida verificação sugere um upgrade de memória. Após a troca dessa peça, o PC continua lento, então sugere a reinstalação/formatação do sistema operacional. No entanto, após alguns dias o computador volta a dar problema. O que aconteceu nesse caso?

Nesse exemplo, o cliente perdeu pelo menos alguns dias de produtividade e, além de ter se estressado, gastou uma boa grana comprando peças. Porém, o problema é que a arquitetura do computador não era adequada ao que ele usava – que são softwares de edição de imagem – e a lentidão não era da memória e sim do processador que tem que processar as imagens. Nesse caso, a solução seria a colocação de uma placa de vídeo dedicada e homologada pelo software utilizado pelo cliente.

Por isso, veja mais abaixo como fazer um correto diagnóstico no computador para identificar quais são as possíveis causas de lentidão. O objetivo é realizar um tratamento correto (solução adequada), que resolva de fato o problema.

Quando atualizar um computador não vale a pena?

Em alguns casos, pode até não ser recomendado, pois além de não resolver o problema do usuário, pode custar caro e o custo benefício não compensa o investimento realizado.

Então em quais casos a atualização do equipamento não é recomendado?

Antes de mais nada, deve-se avaliar a disponibilidade de peças para o equipamento. Em alguns cenários, o equipamento já está obsoleto e fazer um upgrade além de custoso pode não resolver o problema. Nesse caso, o correto é sugerir a troca do equipamento.

Dessa forma, informamos que o upgrade de hardware em equipamentos antigos pode ser um tiro no escuro, pois como o equipamento já tem bastante tempo de uso, pode ser que venha apresentar defeito no futuro, não compensando o investimento. Caso falte recursos para investir em um novo equipamento, pode-se justificar o upgrade em equipamentos mais antigos, mas o ideal é entender a situação e identificar se a causa raiz da lentidão é a baixa capacidade de hardware. Se o usuário tiver novas necessidades de hardware, o upgrade não resolverá completamente a situação.

Identifique a causa de lentidão do PC

É importante ressaltar que antes de sugerir qualquer tipo de melhoria ou solução, é preciso saber identificar o que causa a lentidão do computador. Como sabemos, esse diagnóstico é como se fosse um tratamento médico, já que a máquina precisa ser examinada, fazer exames e monitorar os sinais para identificar as causas raízes do problema. Muitas das vezes pode ser até mais de uma causa.

1. Monitor de recursos

O sistema operacional do Windows é o mais utilizado em todo o mundo, então vamos nos basear em soluções para resolver e identificar problemas relacionados com a lentidão do equipamento nessa plataforma.

Tudo que acontece no sistema operacional, seja Windows, IOS ou Linux, fica armazenado em logs. É como se fosse o sistema conversando com o usuário o tempo todo, atualmente existem diversas maneiras de identificarmos como está funcionando o computador. Uma delas é pela ferramenta “monitor de recursos”.

Essa ferramenta já vem nativa no Windows, pode ser acessada através de diversas formas, uma delas é abrindo o gerenciador de tarefas, pressionando a tecla control + shift + esc (tudo junto).

Uma segunda forma é no menu iniciar do Windows (bandeira do Windows do lado esquerdo inferior da tela), digite “gerenciador de tarefas” e clique no ícone do aplicativo.

Com o gerenciador de tarefas aberto, já conseguimos ter uma ideia do que está ocorrendo no computador, uma vez que ele apresenta todas as informações dos sistemas, softwares e processos que estão sendo processados em tempo real; veja:

Nesse momento, algumas informações do desempenho do sistema são apresentados na aba processos. Além de exibir os processos que estão funcionando atualmente no Windows, essa aba identifica, em tempo real, quais os recursos consumidos pelo computador. 

Na imagem acima, observa-se que o computador está usando 14% da capacidade do processador, 76% da capacidade da memória, 1% do disco e 0% da rede. Percebe-se que a memória é o recurso que está sendo mais utilizado pelo sistema.  Para verificar o que está consumindo toda essa memória, é preciso abrir a “aba  desempenho”.

Nessa área, como é possível ver na figura abaixo, temos alguns detalhes a mais do que na aba processos, constata-se também algumas especificações do equipamento, tais como: quantidade de memória disponível e quantidade de memória em uso. 

Após identificar que a memória está sendo bastante requisitada, precisamos saber qual o processo que mais está sendo consumido. Para ter essa informação, é preciso voltar para a  aba processos e clicar  na coluna memória, onde está destacado. A partir desse momento, será organizado o item que está consumindo mais memória, para o que está consumindo menos (ficando a setinha para baixo, como no exemplo). 

Através dessa organização será possível identificar quais processos estão consumindo mais memória do computador. Nesse caso, o Google Chrome e o WhatsApp, pois o navegador de internet estava com várias abas e janelas abertas, já o aplicativo estava sendo usado no computador.

Se o intuito for liberar memória no computador, bastaria fechar alguns desses softwares para que liberasse uma capacidade maior para utilização em outros sistemas, conforme a imagem abaixo, onde o Google Chrome foi fechado, liberando memória no computador, indo para 60% de uso.

O monitor de recursos é uma importante ferramenta para utilizarmos como um diagnóstico rápido e fácil para identificar o consumo do computador em tempo real. No entanto, apenas saber se a memória, processador ou outro recurso está sendo muito requisitado não é suficiente para uma solução. Para um correto diagnóstico utilizando o gerenciador de recursos, é preciso descobrir qual o processo está consumindo e se esse comportamento é padrão daquele software. Por exemplo, o Google Chrome tem em sua arquitetura o alto consumo de memória para melhorar a performance do acesso às páginas na internet, porém caso perceba algo estranho é bom avançar para outras ferramentas, como a que veremos a seguir.

2. Visualizador de Eventos do Windows

Como já falamos, o sistema operacional gera logs constantes sobre o funcionamento do sistema e dos softwares. Por isso, caso ocorra problemas no computador, o mais indicado a ser feito é identificar no log do Windows algum log de falha, que esteja relacionado a problemas do sistema ou dos softwares.

Para isso, acesse o visualizador de eventos do Windows. Procure o menu iniciar e digite “Visualizador de Eventos”, em seguida, clique no ícone, como o da imagem abaixo:

Já dentro do log de eventos do Windows, observa-se que existem várias pastas e arquivos, entretanto, não nos aprofundaremos em todos eles, vamos manter o foco na busca e avaliação de erros. A forma mais fácil é criar um log de eventos personalizado para que filtre somente o que for erro ou alerta crítico. Para esta finalidade, deve-se clicar com o botão direito do mouse em log do Windows e escolher a opção “Criar Modo de Exibição Personalizado”.

Na tela seguinte, deve-se marcar na área de nível de evento as opções (Nível crítico e erro), pois o Windows pode gerar, por dia, milhares de logs dos mais variados e o que estamos procurando é por eventos de erro e alertas críticos.

Na área abaixo, deve-se escolher a opção por log e em logs de eventos marcar “logs do Windows”, que automaticamente trará todos os logs do Windows.

Agora, basta clicar em Ok e, na tela seguinte, escolher o nome do log (é o nome que daremos ao log personalizado). Logo após salvar com nome desejado, o log aparecerá na área de modo de exibição personalizado, conforme a imagem: (‘Logs de erro’, foi o nome escolhido para esse teste).

Após a criação do log, clique sobre ele. No lado direito, aparecerá os erros relacionados ao Windows:

Um usuário mais leigo terá dificuldade em interpretar os dados apresentados, para isso, basta uma rápida busca na internet utilizando as informações de ID do Evento ou parte do texto do erro para identificar e ver possíveis soluções. O importante é identificar se há erros, além de buscar corrigir o máximo possível, existe ainda a possibilidade de verificar os problemas relacionados à desligamento incorreto do computador, falha de hardware, falha de discos, entre outros.

3. Histórico de confiabilidade do Windows

Uma outra fonte de informação muito esquecida, até mesmo por profissionais mais experientes, é o “exibir histórico de confiabilidade” do Windows, que apresenta as informações dos eventos de forma mais amigável.

Para acessar, busque no menu iniciar por ‘Exibir ‘histórico de confiabilidade’ e clique no ícone, conforme abaixo: 

Neste recurso, podemos avaliar as últimas atualizações de programas, softwares e falhas de forma cronológica. Assim permitindo avaliar se a lentidão ou falha ocorreu após a instalação de alguma atualização ou software específico e quantas vezes o erro ocorreu durante determinado tempo.

Essa função é extremamente importante para usuários, mas, principalmente, para técnicos identificarem quando as falhas começaram a ocorrer porque, muitas das vezes, o usuário percebe o problema recentemente, porém ele já ocorre há mais tempo.

Limpeza física do equipamento

Como tudo na vida, a limpeza física ajuda e muito os componentes do computador a funcionarem melhor, principalmente, na questão de aquecimento e mau contato nos terminais e slots – onde as placas são conectadas. Por esse motivo, reserve sempre um tempo para realizar a limpeza física do seu computador ou notebook.

Essa limpeza, apesar de parecer simples, requer diversos cuidados, pois se feita de maneira incorreta pode gerar grandes problemas e prejuízos como um mau funcionamento de algum dispositivo ou até mesmo a queima total do equipamento. Por esse motivo, veja abaixo as nossas dicas para realizar esse tipo de atividade.

  • Faça a limpeza utilizando um pincel macio e limpo: o pincel é o melhor aliado na limpeza do computador, pois não solta pêlo e não arranha os componentes. Dessa forma, ele pode ser a principal ferramenta na limpeza do equipamento. Lembre-se de utilizar o pincel seco e com cuidado para evitar danificar algum componente.
  • Aspirador de pó: o aspirador de pó é muito importante, pois o computador armazena muita poeira e, por isso, tê-los em mãos é essencial para que a sujeira não se espalhe muito no local. Use o equipamento para tirar o excesso de sujeiras que venham estar na máquina.
  • Soprador de ar: na falta desses dois itens, um soprador de ar pode fazer o trabalho, pois essa ferramenta ao soprar a poeira elimina a sujeira do seu equipamento. Todavia, deve-se tomar cuidado ao realizar essa ação, já que pode acabar entrando resíduos em conexões do computador e slots, além de fazer uma grande sujeira no ambiente de limpeza.
  • Álcool isopropílico: Esse é utilizado para limpeza de componentes eletrônicos, porém só recomendamos que seja usado por pessoas que se sintam seguras ou por técnicos. Ao usar de maneira incorreta, pode danificar o equipamento e causar inclusive danos irreparáveis. 

O que não fazer durante a limpeza do computador:

  • Limpar com o computador ligado: A limpeza deve ser realizada com o computador totalmente desligado, inclusive fora da tomada para evitar riscos de choque elétrico ou queima de algum componente.
  • Utilizar água:  Apesar de ser senso comum a utilização de água para limpeza, em componentes eletrônicos o ideal é evitar para não danificar algum equipamento.
  • Anticorrosivo: Esse item deve ficar longe de componentes eletrônicos, pois pode danificar gravemente o funcionamento dos equipamentos. Somente é indicado para profissionais mais experientes, que saibam usar com a máxima cautela.

Atualizando sistemas e softwares

Sabe-se que os softwares e sistemas passam por constantes atualizações, visto que erros e falhas de segurança são frequentemente encontrados e corrigidos pelos fabricantes. Além de corrigir problemas de performance, manter os softwares e sistemas atualizados é extremamente importante para o correto funcionamento do computador. O intuito é evitar lentidão por mau funcionamento do software com hardware. A atualização dos sistemas também é fundamental para a segurança da informação e pode, consequentemente, melhorar a proteção de dados da organização.

Então como manter sistema e softwares atualizados?

Vamos iniciar pelo sistema operacional Windows, pois é nele que serão instalados os diversos softwares e sistemas utilizados no computador. Para isso, basta ir no menu iniciar e escrever Windows Update (aparecerá algum dos dois ícones exibidos na imagem abaixo). Após clicar, o usuário será transferido para a área de atualização do Windows, onde mostrará se há atualizações pendentes ou se o sistema está atualizado.

 ícone versão 8.1 (ou anterior) / versão Windows 10

Caso não esteja atualizado, o Windows 10 exibirá a mensagem abaixo. Em seguida, clique em verificar atualizações e deixe instalar. Após a instalação, será solicitado que o sistema operacional seja reiniciado para validar as atualizações mais recentes.

Já nas versões anteriores do Windows aparecerá a imagem abaixo. Caso o sistema tenha atualizações pendentes, basta clicar em instalar atualizações que o sistema fará a instalação automaticamente. Por fim, será solicitado que o equipamento seja reiniciado para validar a instalação.

Lembrando que a atualização na sua maioria das vezes é demorada, por isso, faça quando tiver tempo. Cabe lembrar também que após iniciada, as atualizações não devem ser interrompidas, já que pode danificar/corromper o sistema operacional causando danos graves ao sistema e, muitas vezes, até irreparáveis.

Não somente o Windows deve estar atualizado, mas também os drivers dos dispositivos instalados. Existem várias maneiras de realizar esse procedimento, a mais recomendada é, primeiramente, identificar o modelo do seu equipamento, depois entrar no site do fabricante e procurar pelos drivers, porém essa forma pode ser mais complicada para aqueles que não estão acostumados a atualizar drivers. Por isso, listamos quatro softwares gratuitos para atualização de driver, basta instalar e utilizá-los de maneira correta.

Caso seu computador seja DELL, HP ou Samsung, esses fabricantes também possuem formas automatizadas para manter seus computadores atualizados de forma fácil e segura.

DELL: Para equipamentos da DELL, basta acessar o site e clicar em detectar o PC. Após o clique, será realizado o download de um software que identificará o equipamento. 

Após detectar, o equipamento abrirá uma página com informações sobre o produto e algumas abas, basta escolher a aba drivers e clicar em “Detectar drivers”.

HP: Para produtos da HP, basta clique no link e escolher o tipo de equipamento. Depois, clique em “Deixe a HP detectar seu produto” e, posteriormente, será aberto um download de um aplicativo da HP chamado Support Solutions Framework, que após a instalação dará instruções para a atualização do equipamento.

Samsung: A Samsung também disponibiliza um software para fazer update automático dos drivers do seu equipamento. Para acessar basta entrar no link e seguir o passo a passo, onde será solicitado informações do dispositivo. Uma outra forma, é entrar diretamente no site para fazer o download .

Seguindo esta tendência, sabemos que outros fabricantes de computadores buscam produzir sistemas automatizados para download dos drivers dos seus equipamentos. A Upgrade TI acompanha o mercado e sempre que houver novidades informaremos aos nossos seguidores e parceiros. Por isso, não deixe de acompanhar nossas redes sociais para ficar atualizado.

Limpando cache, arquivos temporários e desinstalando softwares obsoletos

Uma das causas de lentidão no computador é justamente a quantidade de processos e arquivos temporários que existem no PC. Durante o uso, eles se acumulam cada vez mais ao instalar e desinstalar programas. Logo, é importante manter uma limpeza lógica do seu sistema operacional para melhorar o desemprenho do computador. Esta iniciativa busca manter a máquina segura e limpa de arquivos desnecessários. 

Existem diversas formas para fazer esse tipo de limpeza. Veja abaixo uma lista que preparamos com uma sequência de passos e softwares, que juntos podem melhorar consideravelmente o computador, caso o problema não seja hardware.

  • Primeiro busque realizar a limpeza de cache e arquivos temporários, confira abaixo um programa gratuito indicado para concluir a limpeza do PC.

Ccleaner: Além de realizar a limpeza do computador, este programa repara também as falhas nos registros do Windows. Para fazer o download clique aqui. Primeiro, baixe e instale o programa, depois clique em  “Limpeza personalizada”, em sequência, clique em analisar e selecione executar a limpeza. 

Na aba registro, clique em procurar erros e após corrigir erros selecionados.

Otimize e repare o sistema operacional

Um dos problemas que podem causar muita lentidão no computador é o sistema operacional com mau funcionamento. Para corrigir possíveis falhas no Windows, nossa equipe recomenda alguns procedimentos. O primeiro é a utilização da ferramenta Tweaking.com que pode ser baixada clicando aqui.

Após instalada, siga a sequência de passos da primeira aba “Getting Started”, clique em “Go TO Step 1” e assim em diante até terminar a manutenção. 

Essa é uma poderosa ferramenta para recuperar o Windows que, muita das vezes, não seria possível recuperar de outra forma. Entretanto, deve ser utilizada em último caso e com muito cuidado, pois há um risco que o sistema operacional pare de funcionar. Então, use a ferramenta com cautela e não mexa no computador para outras atividades durante o processo de reparação do Windows. Jamais cancele a operação depois de fechado,  ao finalizar o processo reinicie o PC.

Dica: Antes da instalação do programa, crie um ponto de restauração no Windows. Confira como realizar essa atividade: 

  1. Abra a caixa de pesquisa na barra de tarefas, digite “Criar um ponto de restauração” e selecione-o na lista de resultados.
  2. Na guia Proteção do Sistema nas Propriedades do Sistema, selecione Criar.

Digite uma descrição do ponto de restauração e selecione Criar > OK.

Repare e melhore a performance do HD

Sem dúvidas o HDD é um dos maiores causadores de lentidão no computador, primeiro por ser uma peça frágil e que costuma apresentar diversos problemas durante seu tempo de uso. Como vimos na seção 2, “Funcionamento do computador”, o HDD ao realizar a leitura dos dados possui um disco que é lido por uma agulha. Ao realizar essa leitura, muitas vezes, o equipamento acaba arranhando e causa um excesso de lentidão.

Outro causador de lentidão é a fragmentação dos dados no HDD, onde este fica armazenado em fragmentos, o que faz com que a leitura dos dados seja mais lenta. Consequentemente, isso gera muita lentidão para o usuário.

Para realizar o reparo no HD, isole áreas que estão danificadas para que os dados não sejam gravados nessas partes. Atualmente, existem diversas ferramentas e vamos apresentar algumas delas.

  • Checkdisk: Essa é uma ferramenta nativa do Windows e pode ser acessada diretamente pelo prompt de comando do DOS. Para isso, basta ir no menu iniciar, digitar (cmd) e clicar com o botão direito no ícone “Abrir como administrador”. É necessário que todos os programas estejam fechados nesse momento, pois após digitar o comando, o computador precisará ser reiniciado para que o processo seja executado.

Com o CMD aberto, digite o comando CHKDSK /r /f /x (entre o /r /f /x tem um espaço). Será solicitado para clicar “S” ou “N”,  nesse instante aperte “S”, depois clique em enter para confirmar e reinicie o PC. Esse processo pode levar até algumas horas para terminar, depende dos danos que tenha no HD.

  • Verificação de erros do Windows: Uma simples e fácil ferramenta, que muitas vezes é esquecida até por técnicos de informática é o verificador de erros do Windows. Esse pode ser acessado, no “Meu computador”, no Windows Explorer, clique em unidade de disco e após em ‘propriedades’, conforme a imagem abaixo:

Após clicar em propriedades, vai aparecer uma janela, o usuário deve selecionar a aba ferramentas e escolher ‘verificar’. Vale lembrar que é preciso ter a permissão do administrador para executar essas atividades.

Posteriormente, clique em verificar a unidade e aguarde a finalização do processo. Nesse instante, é necessário não utilizar o computador e manter os outros softwares fechados. Uma vez iniciado não deve ser cancelado, porque pode danificar o sistema operacional e causar até mesmo perda de dados.

  • EaseUS Bad Sector Repair: A EaseUs é reconhecida por apresentar várias soluções para recuperação de dados. Entre as ferramentas estão: a Bad Sector Repair, que faz uma completa avaliação no disco e realiza o reparo. Para baixar e conhecer o passo a passo da ferramenta, basta acessar este link.

Existem outros diversos programas que podem fazer esse tipo de teste e, possivelmente, corrigir as falhas encontradas. Mas nesse artigo ficaremos com essas opções, pois as que já foram utilizadas pela nossa equipe, como HD Regenerator, HD Sentinel, entre outras são versões pagas ou gratuitas. No entanto, são um pouco complexas para utilização do usuário mais leigo.

Após o reparo no HD, é interessante que seja realizada uma desfragmentação do disco. Para isso, acesse novamente o disco que será verificado em “Meu computador” no Windows Explorer, clique no mouse com botão direito sobre o disco e selecione ‘propriedades’.

Depois, entre na aba ferramentas e selecione a opção “Otimizar”.

Com essas ações finalizadas teremos uma grande chance de ter uma melhoria na performance do computador, porém pode não ser suficiente. Nesse caso, o ideal é fazer um diagnóstico mais aprofundado com ferramentas e técnicas mais complexas ou até mesmo um mix de soluções. Uma das opções é incluir upgrade de hardware e manutenção geral nos sistemas e softwares do computador.

Solução sob medida para sua máquina

Percebe-se que a lentidão no computador, além de ser extremamente estressante no dia a dia, também pode custar tempo e dinheiro a longo prazo. No exemplo mencionado durante o artigo, uma empresa com 20 funcionários chega a perder mais de R$ 6.000,00 por ano apenas por lentidão no computador.

Para evitar esse tipo de problema, este guia auxiliou o usuário a identificar e conhecer o funcionamento dos principais dispositivos de hardware do computador. Entendemos que esses funcionam como uma engrenagem, onde as partes mais rápidas precisam trabalhar na velocidade das partes mais lentas. A partir dessa informação, conclui-se que esse é um dos maiores causadores de lentidão nos computadores e notebooks.

Além disso, foi falado que o upgrade de hardware nem sempre é a melhor solução, porque é preciso identificar se o equipamento encontra-se em estado de obsolescência. Ou seja, se realmente vale a pena fazer o upgrade das peças ou a troca total do equipamento, sempre avaliando o custo benefício da solução.

Tendo em vista os aspectos observados, sabemos que existem algumas formas para fazer o diagnóstico do problema, antes de avançar em uma solução definitiva. Logo, focar em qualquer solução pode acabar saindo caro, pois não existe a certeza do problema e isso pode gerar custos que efetivamente não vão resolver a lentidão no equipamento. As ferramentas utilizadas foram:

  • Gerenciador de tarefas e performance do Windows
  • Log de eventos do Windows
  • Histórico de confiabilidade do Windows

O artigo também analisou diversas formas de melhorar o desempenho do computador e do Windows, utilizando diversas ferramentas gratuitas e até ferramentas nativas do sistema, como é o caso do Check disk. Observa-se que foi criado um processo em etapas para a manutenção preventiva e corretiva do computador. Veja abaixo a sequência correta para melhorar a performance do sistema:

Com isso, concluímos nosso guia para melhoria da performance de computadores e notebooks. Esperamos ter ajudado a todos que sofrem constantemente com lentidão em seus computadores e, em especial, as empresas que  têm a produtividade comprometida devido a lentidão excessiva em computadores e sistemas.

Se você ficou com alguma dúvida sobre os procedimentos que foram passados aqui, por favor, não deixe de falar conosco através do nosso formulário de contato no site

. Aproveite e deixe seu comentário aqui no nosso blog para que possamos respondê-lo o mais rápido possível.

Se sua empresa quer contar com profissionais especializados e resolver, não apenas os problemas de lentidão, mas também de segurança, gerenciamento de servidores, consultoria, entre outras soluções, conte com a Upgrade TI. Entre em contato conosco ou visite nossa área de soluções no site para mais informações.

Aproveite para seguir nossas redes sociais e ficar atualizado com novidades da área de tecnologia da informação e não deixe de compartilhar esse artigo com as pessoas que você conhece que podem estar sofrendo com lentidão no computador

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Inscreva-se para receber nossos conteúdos em primeira mão, diretamente em seu e-mail.

A Upgrade TI precisa das informações de contato que você nos fornece para comunicar informações sobre os conteúdos grátis. Você poderá deixar de receber essas notificações a qualquer momento.

Posts Recentes

Utilizamos Cookies em nosso site para você ter uma melhor experiência ao voltar a nos visitar. Clicando em “Aceito”, você concorda em salvar os Cookies no seu navegador.

Falar com Especialista
UPGrade TI - Suporte Técnico de TI
Olá 👋
Como podemos ajudá-lo?